Autor: Carlotta Gall

Apesar dos intensos bombardeios e funerais constantes, quase 90% da população do país acredita na vitória diante dos russos  Quando a cidade de Kharkiv foi atingida por mísseis russos, há algumas semanas, os alunos e professores instalados nas novas salas subterrâneas não ouviram nada. Lá embaixo, em meio às estações de metrô amplas da era soviética, a Prefeitura montou uma série de espaços decorados, onde as crianças de seis e sete anos estavam tendo a primeira aula do ensino fundamental. “Os pequenos ficaram bem porque aqui embaixo não dá para ouvir as sirenes”, disse uma das docentes, Lyudmyla Demchenko, de…

Leia Mais